"POIÉSIS", jornal de Literatura, Pensamento & Arte, publica TANUSSI CARDOSO

"POIÉSIS", editado em Saquarema/RJ, pelo jornalista e excelente poeta CAMILO MOTA, é um importante jornal sócio-cultural, de grande circulação e penetração no Estado do Rio de Janeiro, tendo, entre seus editores, nomes relevantes no nosso meio, como Fernando Py, poeta e crítico literário dos maiores do país, Gerson Valle, um dos grandes escritores brasileiros, Marcelo J. Fernandes, outro excepcional escritor e poeta, além de nomes essenciais para a nossa cultura: Regina Mota, Sylvio Adalberto, Marco Aureh, Celso Caciano Brito, Francisco Pontes de Miranda Ferreira e Charles O. Soares. No nº 194, de maio de 2012, "POIÉSIS" me agraciou com a publicação, em sua página de Poesia,  do meu poema "GESTOS", que segue abaixo. Poetas como Danka Maia, Carmen Felicetti, Charles O.Soares e Paulo Luiz Barata também estavam presentes na edição. Fica meu agradecimento ao "POIÉSIS".
Recomendo com louvor: www.jornalpoiesis.com.br


"CONVIVÊNCIA", REVISTA DO PEN CLUBE DO BRASIL, PUBLICA POEMAS DE TANUSSI CARDOSO

"CONVIVÊNCIA", REVISTA DO PEN CLUBE DO BRASIL, depois de alguns anos sem circular, voltou, nessa segunda fase, em conteúdo on line.  Neste nº 1, publicado no 2º semestre de 2011, tive o privilégio de ser um dos poetas convidados, ao lado do grande IVAN JUNQUEIRA e da poeta MARITA VINELLI.

Seguem algumas notícias da Revista e os meus poemas publicados.









MANOAMANO

MANO MELO, um dos grandes poetas e performers do Brasil, me convidou e fui até lá, me apresentar no seu MANOAMANO. Aconteceu em 15 de maio de 2012, lá no Restaurante 00, na Gávea. A noite foi comandada, brilhantemente, pelo poeta e pela bela CRISTINA BETHENCOURT. Tive a honra e o orgulho de dividir a noite com nomes de peso e muito queridos por todos: CHICO CARUSO, CLARICE NISKIER, DUDA RIBEIRO e TATIANA DAUSTER. Noite memorável!
Obrigado, meu mano, MANO MELO!

RONALDO WERNECK NO CORREIO DAS ARTES

Um dos grandes poetas brasileiros, RONALDO WERNECK, ofereceu um belíssimo depoimento sobre sua carreira e visão poética, a outro grande escritor, SÉRGIO DE CASTRO PINTO. O texto completo saiu publicado no CORREIO DAS ARTES, Suplemento do jornal A UNIÃO, de setembro de 2011, nº 7, João Pessoa/PB. A certa altura de sua fala, RONALDO WERNECK cita o meu poema "DA POESIA", ao lado de poemas de BLAKE e CASIANO RICARDO, o que me encheu de orgulho.

Obviamente, no FB, o texto não se encontra muito legível. De qualquer maneira, tentei, em homenagem ao poeta, divulgar um pouco de sua fala (e de sua foto)e, ao final, reproduzo a parte em que fui mencionado, adicionando a íntegra do poema.

RONALDO WERNECK não é só um dos grandes nomes da cultura nacional, mas, um ser humano de primeira grandeza. Agradeço a sua amizade.
































































"Octavio Paz, de novo:"A prosa é a linha - reta sinuosa, espiralada, ziguezagueante, mas sempre para diante e com uma meta precisa. O poema, o círculo - algo que se fecha sobre si mesmo, universo auto-suficiente e no qual o fim é também um princípio que volta, se repete e se recria. E esta constante repetição e recriação não é senão o ritmo, maré que vai e que vem, que cai e se levanta". Valéry disse que a prosa é marcha; o poema, dança:"A poesia se distingue da prosa por não ter todas as mesmas permissões que essa última. Sobre o que eu "quis dizer" em tal poema, respondo que não quis dizer, e sim quis fazer, e que foi a intenção de fazer que quis o que eu disse. É a execução do poema que é o poema. Fora dela, essas sequências de palavras curiosamente reunidas são fabricações inexplicáveis".

Fabricações coincidentemente inexplicáveis, a exemplo de aleatórias divagações sobre um tema qualquer, vamos dizer "tigre", como se pode ver em três poetas absolutamente distintos: Tyger, Tyger, burning bright / In the forests of the night (William Blake). A beleza do tigre/ na cidade./ Um indício, talvez,/ da poesia como coisa/ selvagem (Cassiano Ricardo). O medo do mundo/ em cima do muro/ não// o malabarista/ na corda-bamba/ não// o olho do tigre/ exato certeiro/ o olho do tigre/ sim (Tanussi Cardoso).

(Depoimento de RONALDO WERNECK a SÉRGIO DE CASTRO PINTO)



DA POESIA


o canto do pássaro

à procura do vento

não


a promessa de amor

nas faces da lua

não


o medo do mundo

em cima do muro

não


o malabarista

na corda-bamba

não


o olho do tigre

exato certeiro

preciso


o olho do tigre

sim


(in, "Exercício do Olhar", Ed. Fivestar/RJ, 2006)










Buscar

 
TANUSSI CARDOSO POETA ETC Copyright © 2011 | Tema diseñado por: compartidisimo | Con la tecnología de: Blogger